Blog

Doenças Oculares Silenciosas

Uma irritação nos olhos nunca é algo bom, mas pelo menos ao perceber os olhos em tons avermelhados, atinamos o senso de urgência e buscamos a ajuda de um profissional. O mesmo pode ser dito sobre terçol, conjuntivite, uveítes e blefarite: Você pode até não saber o nome ou o que causa cada uma dessas oculopatias, mas os sinais externos que aparecem na região ocular indicam que algo não está bom. Nossa acuidade visual é outro fator que nos impulsionam a buscar a ajuda de um médico: se estamos tendo dificuldade de enxergar à determinadas distâncias, a primeira medida é agendarmos um exame oftalmológico para enfim descobrir o que se passa. No entanto, existem uma série de doenças oculares silenciosas que não trazem nenhum sintoma externo ou grandes desarranjos sistêmicos que nos motivam a buscar ajuda com o oftalmologista.

Para início de conversa, enxergar bem não significa necessariamente que o olho é saudável. Existem doenças que causam graves alterações na estrutura ocular e ainda assim mantém a capacidade de enxergar intacta até que a doença se agrave ainda mais. Outras patologias sistêmicas podem acometer regiões menos importantes para a visão central, mas que tem grande importância na saúde ocular. Sendo assim, usar como desculpa a sua boa visão para não ir ao oftalmologista pode não ser uma sabia decisão.

Um dos exemplos mais clássico de doenças oculares silenciosas é o Glaucoma, doença que acomete o nervo óptico, causa na maioria das vezes pelo aumento da pressão intra-ocular. Acontece que quando os níveis da pressão ocular estão elevados eles podem ser totalmente assintomáticos. Isso é muito ruim afinal, pouco a pouco o nervo óptico é danificado de forma irreversível até quem enfim, a visão seja comprometida e o tratamento perde sua eficácia.

Outro caso é a da Rotura da Retina. Muitas vezes a retina pode sofrer pequenas rachaduras nas suas regiões mais periférica e durante anos ela pode não trazer nenhum desconforto visual ou comprometimento sistêmico. Porém, chega o momento em que essa ruptura evoluir e permita a passagem de líquido para seu interior provocando o deslocamento da retina. Quando isso acontece a visão é comprometida de forma súbita, e já pode ser tarde para o tratamento de algo que poderia ter sido detectado por um check-up oftalmológico de rotina.

Já as Retinopatias são alterações nos vasos sanguíneos que irrigam a retina. Elas são progressivas e iniciam de forma tímida não apresentando sintomas até que a vista comece a embaçar e visão fica comprometida, trazendo a impressão de “moscas voando” e flashes sendo disparados devido a eventuais extravasamentos de líquidos e hemorragias. Geralmente está associada com a diabetes e hipertensão arterial, e por isso, uma vez diagnosticado com alguma dessas doenças é ideal a realização de exames óticos a fim de um diagnóstico complementar que consiga ver as implicações dessas doenças na sua saúde ocular.

A existência de doenças oculares silenciosas é realmente preocupante visto que são imperceptíveis, felizmente, todas elas podem ser detectadas numa consulta oftalmológica de rotina. Então já sabe, não deixe de colocar sua saúde ocular em dia.