Blog

Exames Oculares e Diabetes

A diabete é uma doença hormonal crônica que tem impacto em todo o organismo humano e, com a saúde ocular o cuidado também deve ser feito. Todo diabético precisa dar atenção especial à saúde de seus olhos uma vez que a alta taxa de glicose no sangue pode resultar em diversos consequências para a visão. Entre as mais frequentes complicações da diabetes estão a retinopatia diabética, glaucoma e catarata.

 

  • Catarata: Doença onde há uma opacificação parcial ou total do cristalino do olho, o que atrapalha a entrada de luz nos olhos e deixa a visão embaçada. Pode ser congênita (de nascimento), secundária (desenvolvida como complicação de outra doença) ou associada ao envelhecimento natural.
  • Glaucoma: Principal causa de cegueira adquirida, essa doença é caracterizada pelo aumento da pressão dentro do olho. A pressão alta com o passar do tempo danifica o nervo ótico. Mais comum em pessoas acima dos 60 anos.
  • Retinopatia Diabética: Doença que afeta os pequenos vasos da retina, originada principalmente devido ao tempo de duração da diabetes e ao descontrole da glicemia. A doença afeta ambos os olhos e se não diagnosticada e tratada precocemente pode levar a cegueira irreversível.

 

Estas patologias se desenvolvem mais facilmente nas pessoas com diabetes tipo 1, a diabete congênita. Portanto, vale lembrar que o controle do nível de glicemia no sangue deve ser acompanhado diariamente, afinal esse monitoramento associado à uma alimentação equilibrada, é a melhor forma de prevenir o desenvolvimento dessas doenças.

Listamos abaixo alguns dos exames importantes que ajudam na identificação e controle da retinopatia diabética, principal doença ocular que pode acometer um diabético, no entanto, vale lembrar que o encaminhamento para qualquer um desses exames deve ser direcionado pelo oftalmologista. Saiba quais são os exames:

 

Angiofluoresceinografia: Avalia o fluxo dos vasos da retina através de fotografias do fundo do olho capturadas por máquina digital, com o auxílio de uma injeção endovenosa com corante a base de fluoresceína.

Mapeamento da Retina: fundamental para o diagnóstico e acompanhamento dos problemas da retina, pois permite uma visão detalhada de toda a superfície interna do olho.

 

Ressaltamos ainda que uma vez diagnosticado com a diabetes, o paciente está mais propenso a desenvolver Glaucoma e Catarata e por isso, como uma dica de cuidado extra, listamos alguns outros exames que podem detectar e acompanhar o desenvolvimento dessas doenças.

Aberrometria: Estuda possíveis irregularidades ópticas de alta ordem que podem comprometer a visão. As imagens capturadas através de projeções luminosas na córnea proporcionam análise detalhada do sistema óptico ocular (córnea e cristalino). Detecta Catarata

Biometria ultrassônica: Avalia as dimensões oculares e cálculos dos poderes de lentes-intraoculares para cirurgias de catarata. É medida a distância entre a córnea e a retina, que é fundamental para a implantação da lente intra-ocular correta no tratamento de catarata, podendo até eliminar a necessidade de uso dos óculos. Esse exame também é necessário para o acompanhamento do glaucoma congênito, que pode tanto evoluir quanto regredir, dependendo do caso. Detecta Catarata

Estereofato de papila: Este exame consiste na fotografia colorida, com máquina digital, do nervo óptico ou papila em estereopsia (montada em 3D). Sua principal função é permitir a comparação objetiva da evolução de escavação de disco óptico. Detecta Glaucoma

Fundoscopia/ Exame de Fundo de Olho: Permite visualizar as estruturas do fundo de olho, dando atenção ao nervo óptico, os vasos retinianos, e a retina propriamente dita, especialmente sua região central denominada mácula. Detecta Glaucoma

Gonioscopia: Avalia as estruturas intra-oculares entre a íris e a córnea e é importante para avaliação e tratamento de pacientes portadores ou suspeitos de glaucoma, além do estudo de tumores na íris, trauma ocular ou suspeita de outras anormalidades. Detecta Glaucoma

Tonometria de Aplanação: Permite a medida da pressão intra-ocular, que é fundamental para o diagnóstico de glaucoma. A Tonometria é considerada o exame mais preciso, indolor e simples para a medição da pressão intraocular, além de ser um exame muito importante. Para a realização do exame os olhos são anestesiados com um colírio, levando menos de dois minutos para que ele seja finalizado. Detecta Glaucoma